Bannière

[ Inscrivez-vous ]

Newsletter, Alertes

FIFA multa Federação Maliana de Futebol em $ 16 mil

Imprimer

Bamako, Mali, 7 Outubro (Infosplusgabon) -  A Federação Internacional de Futebol (FIFA), instância suprema do futebol mundial, acaba de infligir uma multa de nove milhões de francos CFA (cerca de 16 mil e 72 dólares americanos) à Federação Maliana de Futebol (FEMAFOOT) devido a incidentes ocorridos durante a quarta jornada das eliminatórias do Mundial de 2018 na Rússia 2018.

 

Trata-se de uma partida disputadas a 5 de setembro passado entre o Mali e Marrocos, no estádio de 26 de março de Bamako, anunciou quinta-feira a FIFA numa correspondência transmitida à Infosplusgabon, na capital maliana.

 

Nesta correspondência dirigida ao Secretariado da FEMAFOOT, a FIFA responsabiliza a instância dirigente do futebol maliano, "por violação do Código Disciplinar da FIFA e do  Regulamento da FIFA sobre a segurança dos estádios" pelos incidentes ocorridos durante o jogo da competição preliminar do Mundial de 2018, entre as equipas representativas do Mali e de Marrocos, a 5 de setembro de 2017.

 

Nesse dia, nota a correspondência, "a equipa técnica liderada por Alain Giresse, então selecionador principal dos Águias do Mali, foi atacada por adeptos descontentes depois da vergonhosa derrota por 6-0 dos Águias face aos Leões de Altlas, em Rabat, para a terceira jornada das eliminatórias".

 

Esta multa infligada à FEMAFOOT é pagável num prazo de 30 dias, a partir da notificação da decisão de 28 de setembro, precisa a nota da Comissão de Disciplina liderada pelo Paraguaio Alejandro Piera.

 

"Se tais incidentes acontecerem no futuro, a Comissão de Disciplina da FIFA não terá outras escolhas senão impor sanções mais severas contra a FEMAFOOT", adverte a FIFA.

 

FIN/INFOSPLUSGABON/MPO/GABON 2017

 

© Copyright Infosplusgabon

Qui est en ligne!

Nous avons 2178 invités en ligne

Publicité

Liaisons Représentées:

Newsflash

RDCongo, 7 septembre (Infosplusgabon) - La République démocratique du Congo (RDC) a signé, à Brazzaville, un accord avec la Communauté économique et monétaire de l’Afrique centrale (CEMAC) pour officialiser son adhésion au Groupe d’action contre le blanchiment d’argent en Afrique centrale (GABAC), en qualité de membre associé, a-t-on appris jeudi de sources officielles.